VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
BAH!rulho

Rappers do Antítese lançam clipe em parceria com o grupo Alaska Pro

Grupos de Novo Hamburgo e Carlos Barbosa chegam juntos com Da Selva a Serra .

Tem clipe novo da galera do grupo Antítese Rap na área. E dessa vez os MCs hamburguenses MTS e ATL chegam reforçados pela parceria com os manos do Alaska Pro, da cidade de Carlos Barbosa, na Serra gaúcha. O videoclipe do projeto Da Selva a Serra teve produção sonora da Plano D Records, de Esteio, e conta com instrumental do beatmaker Sasset. O clipe foi produzido visualmente por El Guaxi. Se liga aí:

Poesia Sem Nome Nº 1 é o primeiro disco de Lorenzzo Tomás

Jovem compositor hamburguense lança primeiro trabalho mais longo após dois EPs.

Divulgação
Capa do disco de Lorenzzo Tomás
O hamburguense Lorenzzo Tomás, 18 anos, está lançando o seu primeiro disco. Poesia Sem Nome Nº 1 chega depois dos EPs Até as Estrelas Morrem um Dia (2017) e Causa (2017). "Esse é o meu primeiro disco. Não sei dizer ao certo minhas inspirações, mas eu pretendia fazer algo mais cru, e sem muita edição ou rebuliço", conta o músico. "As músicas foram todas gravadas em casa, sozinho, durante dois meses", revela Lorenzzo, destacando as participações de Gustavo e Fernanda Arnold.

Entre as inspirações, O Terno e Tim Bernardes, que foram a trilha sonora durante o período de composição do álbum. "Mas não acredito que haja muita influência em cima disso", reflete. "O álbum se chama Poesia Sem Nome principalmente porque nem tudo precisa ter um motivo. Não canto sobre flores e dias bonitos e sempre quando falo sobre amor isso me desgasta muito. Acho que só toco porque preciso", aponta Lorenzzo. O trabalho está disponível em plataformas digitais como o Spotify. Se liga aí:

Tem disco novo da EX chegando e o primeiro single já saiu

Luto é a primeira música do terceiro álbum da banda de Porto Alegre, que irá se chamar O Segundo Dia.

Júlia Tarragó/Divulgação
Arte da primeira música de O Segundo Dia
Em 2016, quando a EX lançou seu segundo disco, EX Lux, o Bah!rulho publicou entrevistas com os vocalistas Rafael Martinelli e Thiane Nunes. Agora, a banda de Porto Alegre – que tem forte ligação com a cena leopoldense – está preparando seu terceiro álbum: O Segundo Dia. O primeiro single, Luto, já foi lançado e as próximas canções serão divulgadas uma a uma até que o disco tenha completado o seu nascimento. "Como fizemos em EX Lux, apresentaremos cada canção antes de compilar num disco. Talvez com uma faixa adicional, como também fizemos no EX Lux", conta Guilherme Klamt, baixista e também guitarrista da EX.

"É um disco bem mais intuitivo, o que, absolutamente sem querer, traduz o sentimento de ausência que sinto transmitir as novas composições, principalmente observando-as agora, com o distanciamento que só a obra pronta permite", aponta Klamt. "Falo em ausência porque as canções foram surgindo sem muito de nossas presenças físicas, sem grandes planejamentos, até mesmo sem muito ensaio, o que também é uma consequência da mudança de formação." As novidades são, nos teclados, pianos e sintetizadores, André Flores, o Pak, além do Rodrigo Souto, que deixou teclados e sintetizadores para assumir a bateria. A banda é completada por Thiane Nunes e Rafael Martinelli nas vozes, Cristiano Sertório nas guitarras e baixos, e Guilherme Klamt, ainda no baixo, mas também tocando guitarra em quase todas as novas composições.

"Observo a ausência nas letras do Martinelli também. Curioso é que ele, cuja voz é uma característica da EX, como era em Deus e o Diabo (antiga banda dos músicos), não canta no primeiro single que lançamos, de Luto. É mais uma vez a ausência se mostrando em circunstâncias aleatórias...", destaca Klamt. "Mas de nenhuma forma a ausência que falo é uma ausência relapsa. Quem ouvir sentirá um disco de canções complexas, difícil de entender, cheio de detalhes e nuances, o que acho que é uma característica que temos como compositores nesses mais de 20 anos de arte."

A próxima canção será divulgada em junho. Os singles estão sendo lançados pela Omertà, selo que recentemente trouxe para o Rio Grande do Sul o músico Lee Ranaldo (ex-Sonic Youth), e estreia no mercado com a EX. O álbum tem produção de Thomas Dreher, Guilherme Klamt, Thiane Nunes e Rafael Martinelli. "O que influencia esse novo trabalho é difícil dizer... É a passagem do tempo e tudo que isso traz, musicalmente e no ir e vir dos dias", arrisca Klamt. Se liga aí:

5 Tiros é o primeiro single do novo disco da banda Hempadura

O álbum Artigo 331 é o terceiro da carreira do grupo e será lançado no dia 11 de junho.

Divulgação
Banda irá lançar seu terceiro disco no dia 11 de junho
A banda Hempadura, de Porto Alegre, está preparando o lançamento do seu terceiro disco. Artigo 331 chega às plataformas digitais no próximo dia 11 de junho. O trabalho, produzido de forma independente no home studio da banda, será lançado pelo selo próprio dos caras, o Big Hill Records. Kalleb Sanches (vocalista), Everton Bodão (guitarrista), Billy Valdez (baixista) e Ériton Castilhos (baterista) dão seguimento à proposta do grupo, que é "alertar, fazer pensar sobre uma outra ótica vários assuntos complexos da nossa sociedade, a música é uma arma de transformação e a nossa arte está engatilhada na frente do sistema".

Antes de Artigo 331, a Hempadura já havia lançado o EP Hempadura (2013), e os álbuns Mercado da Morte (2014) e Manifesto (2016). Entre as influências, os músicos citam Black Sabbath, Sepultura, Rage Against the Machine, Korn, Facção Central e Racionais. A banda irá se apresentar no Igara Rock Festival, no Centro Olímpico Municipal de Canoas, no dia 9/6; no Rolê HC do Signos Pub, em Porto Alegre, no dia 10/6; no Ponto Nulo do Céu da Go Brew, em Porto alegre, no dia 16/6; e na Fundação de Atendimento Sócio Educativo (Fase), em Porto Alegre, no dia 11/8.

O primeiro single do novo disco da Hempadura é a música 5 Tiros, que ganhou um clipe produzido pela banda em parceria com o Coletivo Catarse. Se liga aí: