Publicidade
Acompanhe:
Notícias | Região Investigação

Vendedores de chope sofrem onda de golpes em várias cidades da região

Empreendedores do setor deixam concorrência de lado e se unem para evitar novos casos, que se intensificaram nos últimos dois meses

Por Silvio Milani
Última atualização: 09.10.2019 às 15:03

Equipamento furtado estava com distribuidor de Canoas Foto: Reprodução
Alarmados com a onda de golpes contra empresas do setor, vendedores de chope estão começando a recusar encomendas para desconhecidos. "Se não é cliente de carteira, nem pensar", declara o dono de uma cervejaria de Dois Irmãos, que sofreu prejuízo de aproximadamente R$ 7 mil no mês passado. Os criminosos pediram 30 litros para uma casa no bairro Primavera. Quando a distribuidora foi cobrar e buscar o material, no dia seguinte, não havia ninguém no imóvel. "Nos informaram que tinham levado tudo embora. O maior prejuízo nem é o líquido, e sim o equipamento", lamenta.

Em razão da elevada incidência de casos nos últimos dois meses na região metropolitana e litoral, empresários deixaram a concorrência de lado e se uniram em aplicativo de celular.

Na última sexta, conseguiram evitar golpe em Novo Hamburgo. "Um proprietário perguntou se aquele endereço, no bairro São José, era confiável. Daí outros dois disseram que haviam recebido encomenda para o mesmo lugar. Um passou lá e viu que era um chalé bem suspeito, onde ficava impossível uma festa para tanta gente, já que o pedido era para 150 litros", relata Cleber Cardoso, dono de uma choperia em Campo Bom.

Envolvidos

A união dos empresários também rendeu investigações particulares. Foram atrás de pistas deixadas pelos criminosos e conseguiram identificar alguns. "Há envolvidos de Dois Irmãos, Caxias do Sul, Canela, Porto Alegre. Não sabemos se é uma ou mais quadrilhas. E estamos de mãos atadas, pois sem flagrante ninguém é preso. Se forem pegos quando encomendam não adianta, pois a intenção não configura crime", comenta Cardoso. Ele explica que, ao fazer pedido, é padrão o cliente enviar uma foto de documento de identidade. "Alguns eram falsificados, mas já vieram autênticos. Parece que não estão preocupados em ser pegos."

"O pessoal está assustado"

O grupo de WhatsApp já reúne 40 empresários. "O pessoal está assustado. Pena que nem todos fazem ocorrência, para a Polícia ter a dimensão do problema", frisa Cardoso. Os membros já encaminharam fotos e dados de suspeitos à Polícia Civil. Os mesmos criminosos estariam envolvidos em outro tipo de golpe contra um fabricante de chopeiras de Esteio. Compraram dois equipamentos e os retiraram com o comprovante de um falso depósito bancário, feito por meio de envelope vazio.

 

Empresário preso com chopeiras furtadas

O princípio de que equipamentos furtados vão parar em empresa do setor se confirmou na manhã de 27 de setembro, em Canoas, quando a Polícia prendeu o dono de uma distribuidora de bebidas com três chopeiras oriundas do golpe na região. Ele utilizava o material para lucrar com o aluguel em eventos e festas particulares na região metropolitana. “Foram 30 dias de investigação, com três vítimas identificadas até o momento”, frisa o delegado da 1ª DP de Canoas, Rafael Soares. O empresário, que não teve o nome informado, foi autuado em flagrante por receptação e solto no dia seguinte. Segundo o delegado, é apurado se ele somente comprava ou se organizava o golpe, recrutando laranjas para as encomendas e furtos de chopeiras.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.