Publicidade
Acompanhe:
Notícias | Região Histórico

Cruzeiro volta de Pelotas com uma mão na taça do Gauchão Juvenil

Jogando no Estádio Bento Freitas, a gurizada do Estrelado deu show e venceu, de virada, por 3 a 1. Jogo decisivo será no próximo sábado, em Cachoeirinha

Por Eduardo Torres
Última atualização: 05.11.2019 às 13:40

Virada aconteceu no segundo tempo Foto: Divulgação
Dizer que essa gurizada está escrevendo um incrível capítulo na história do Cruzeiro já virou redundância. Na tarde de sábado (2), a equipe Sub-17 do Estrelado deu, em pleno Estádio Bento Freita, em Pelotas, um passo fundamental para transformar a trajetória no Gauchão Juvenil e taça no armário cruzeirista — a primeira da Era Arena Cruzeiro, em Cachoeirinha. Com dois gols de Tiba e um de João Vitor, o Cruzeiro fez 3 a 1, de virada, sobre o Brasil de Pelotas, e agora, no próximo sábado, poderá perder por até 2 a 0 que ainda assim terá garantido o título gaúcho inédito na categoria.

Depois de um primeiro tempo de muito equilíbrio, em que a defesa cruzeirista conseguiu se impor ao ataque dos donos da casa, a segunda etapa foi o momento em que o dedo do treinador Leandro Nunes definiu o jogo. Entraram Tiba e Cristian no ataque, e mais no final, João Vitor também foi para o jogo. Pois eles decidiriam a partida. Mas a etapa final começou com um susto.

Logo aos 3 minutos, uma falha na defesa, que se mantinha sólida desde o início do jogo, deixou o atacante Leonardo, do xavante, com toda a liberdade para tocar na saída do goleiro e fazer o 1 a 0 para o Brasil. Mas era só questão de assimilar o golpe e reagir. Foi o que aconteceu, bem rapidamente.

Aos 16 minutos, Tiba marcou um gol de placa no Bento Freitas. Recebeu na intermediária, abriu o espaço e soltou a bomba do meio da rua. O goleiro, adiantado, nada pode fazer. Era o empate para o Cruzeiro, que já poderia ser considerado um bom resultado, mas a gurizada não parou e, aos 28 minutos, em cruzamento para a área, novamente Tiba foi mais esperto que os zagueiros, antecipou-se e desviou do goleiro para fazer o gol da virada.

Restava ao Brasil uma reação desesperada. Outra vez, esbarraram na solidez defensiva cruzeirista. E sofreram o revés. Desta vez, nos acréscimos, a cobrança de falta encontrou a cabeça de João Vitor na área. Ele desviou e tirou do goleiro para fechar o placar em 3 a 1 e colocar uma mão na taça.

A primeira decisão de título da recente história do Cruzeiro em Cachoeirinha está marcada para às 15h do próximo sábado.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.