VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
BAH!rulho

Diokane chega com peso no seu primeiro EP

Banda de Porto Alegre lançou This Is Hell We Shall Believe, que conta com cinco músicas.

Foto por: Divulgação
Descrição da foto: Arte da capa do EP da banda Diokane
O quarteto Diokane, de Porto Alegre, lançou recentemente seu primeiro EP: This Is Hell We Shall Believe. São cinco faixas e mais uma intro que têm como base o hardcore, mas que passeiam pelo death, thrash, grind, black metal e punk rock. A mistura sonora ganha o ouvinte pela naturalidade com que é costurada durante o pouco mais de dez minutos do registro. A produção, simples mas eficiente — feita pela própria banda e por Stenio Zanona (do TungStudio, onde as faixas foram gravadas) —, ajuda a destacar a força das composições. O trabalho saiu em CD e também está disponível nas principais plataformas de música. A arte da capa é do tatuador e atual guitarrista do grupo Rafael Giovanoli. A Diokane liberou o vídeo gravado ao vivo da música Born With A Curse, uma das que compõem o EP de estreia da banda. A filmagem foi realizada pela produtora Chama Vídeo Independente, e o áudio foi captado pela equipe do TungStudio. Se liga aí:

Banda Os Torto divulga clipe do seu novo EP

Música Cérebro Lindo, que ganhou vídeo, integra o disco É Verdade Esse EP.

Foto por: Divulgação
Descrição da foto: Banda Os Torto está divulgando seu novo EP
Os Torto lançaram no final do ano passado o disco É Verdade Esse EP. Pouco depois, a banda de Porto Alegre divulgou o clipe da música Cérebro Lindo. O clipe foi produzido por Jubileu Carniça, enquanto o lançamento do EP saiu pelo selo carioca Morcego Records. Este é o sétimo registro da banda em 24 anos de carreira.

"Nem sabemos direito como começou essa música. Mas percebemos um movimento de larga escala na sociedade de preguiça mental extrema, ao mesmo tempo em que ninguém quer parecer ou deixar claro que não entende de algum assunto. Assim, todo mundo é entendedor de tudo. Mas pra poder acumular tanto conhecimento em pouco tempo, só se fosse estilo Matrix - manja aquela cena do Neo aprendendo a lutar Kung Fu? Aí surgiu esse personagem sem nome que narra essa música: alguém que quer ser superinteligente mas tem preguiça de ler, de pesquisar e tenta absorver inteligência de outras pessoas, tipo o Apocalipse do X-Men. No final esse texto é só pura enrolação de alguém que, vá lá, também tem preguiça de ler às vezes. Aqui também cabe uma citação do escritor Isaac Asimov: 'Uma onda anti-intelectualismo tem sido uma constante trama se espalhando por nossa vida política e cultural, nutrida pela falsa noção de que democracia significa que minha ignorância tem tanto valor quanto o seu conhecimento'", escreveu a banda. Se liga aí:

EX lança primeira canção do disco 2019

Após momento conturbado, com morte de um integrante, banda de Porto Alegre retoma as atividades com novo álbum.

Foto por: Iuri Minfroy/Divulgação
Descrição da foto: Thiane Nunes e Guilherme Klamt durante show da EX
A banda EX, de Porto Alegre e com forte ligação com a cena do Vale do Sinos, já estava trabalhando em O Segundo Dia, que seria o terceiro disco do grupo, quando a morte do músico Rodrigo Souto, responsável pela bateria, morreu. Três músicas já haviam sido gravadas, mas os planos foram alterados em função da perda do integrante. Após um show em homenagem a Rodrigo Souto, no Oculto, em Porto Alegre, no dia 20 de outubro, novos rumos foram traçados. O Segundo Dia foi deixado de lado, pelo menos por enquanto, e o grupo começou a trabalhar em 2019, que será o quarto álbum dos caras. A primeira música já foi divulgada: Mate o Mito. O Bah!rulho conversou com o vocalista Rafael Martinelli sobre o momento da EX. Dá play no novo som da banda ali embaixo e confere a entrevista:

Em função da morte do músico Rodrigo Souto, vocês optaram por cancelar o lançamento de O Segundo Dia, que seria o terceiro disco da banda. Como está sendo esse processo de retomada das atividades após a perda de um amigo e integrante da banda?

Acho que consigo falar por todos nessa. Em qualquer lugar que vamos, em qualquer estúdio que tocamos, em qualquer loucurada que fazemos, em qualquer canção que tocamos, ou mesmo tentamos compor, enxergamos o Souto. A EX estava em um de seus melhor momentos. Ele era um dos melhores bateristas do Brasil. Tínhamos composto e gravado juntos três canções para O Segundo Dia. Luto foi a primeira. Depois Theo Tem Uma Arma, onde a batera do Souto é magnífica, e ainda Trabalho. Não conseguimos levar as gravações adiante. Guardamos para um outro momento. Para nós, é o disco do Rodrigo Souto. As circunstâncias nos levaram a sair do torpor do luto e começar a compor um álbum novo, o 2019. A primeira música está aí, Mate o Mito, foi lançada às 15 horas do dia 1º de janeiro.

2019 será o quarto disco e já teve uma música divulgada. Ele ficou muito diferente do que seria O Segundo Dia?

O 2019 tem o imediatismo desse momento em que vivemos. Se é uma das primeiras manifestações de resistência ou não, como estão falando, nenhuma diferença faz. Arte sempre incomoda, seja em relação a nossa intimidade, seja em relação a nossas relações, ou o mundo. Na prática, a resposta a tua pergunta se traduz na temática e também na produção. Mate o Mito tem guitarras criadas no dia da gravação, os vocais são todos num take 1, tocando junto com a banda, sem fones, isolamento acústico. A próxima canção, Família de Cera, a Gabi Tachini, amiga querida que tanto nos ajudou ao assumir a bateria após a morte do Souto, ouviu pela primeira vez numa quinta e gravamos no sábado. Thomas Dreher, que produz nossos discos desde a primeira gravação que fizemos, com Deus E O Diabo (ex-banda dos integrantes da EX), em 1998, tem papel nisso, porque pilhou para que captássemos esse modo momento punk, de revolta. Revolta com esses monstros que saíram do armário, mas também revolta com a morte tão precoce de um amigo. É difícil aceitar...

O Segundo Dia ainda será lançado futuramente como uma homenagem ao Rodrigo Souto?

Foto por: Rodrigo Luz/Divulgação
Descrição da foto: No primeiro show sem Rodrigo Souto a bateria ficou sem ser tocada
Sim, em algum momento lançaremos O Segundo Dia. Sem dúvida uma homenagem ao Souto, um dos músicos com um dos maiores legados no underground gaúcho, ou o que chamamos de MMG, a Música Marginal Gaúcha.

Esse novo trabalho também terá lançamento faixa a faixa?

Sim, faixa a faixa, para que cada música tenha seu momento.

Mate o mito faz referência ao momento político que vivemos. Como vocês avaliam o papel da arte hoje no Brasil?

Você fala que faz parte do momento político. Acho que não cabe ao artista traduzir a arte. Cada um se impacta do seu jeito. Mas posso te dizer que a arte que mais gosto é sempre "contra tudo que está aí", se é que me entende.

Alguma previsão para divulgação de mais uma música desse trabalho?

Família de Cera, sai em fevereiro.

Como está a formação da EX hoje?

A EX hoje é Guilherme Klamt, Thiane Nunes, Cristiano Sertório, André Pak Flores, Gabriella Tachini e Rafael Martinelli. A estreia ao vivo será em março.

Flanders 72 lança primeiro clipe do seu novo disco

Warpzone é o primeiro vídeo do disco This is a Punk Rock Club, quarto trabalho da banda leopoldense.

O Bah!rulho falou sobre o lançamento de This is a Punk Rock Club, quarto disco de estúdio da Flanders 72, que saiu em setembro do ano passado. Agora, a banda de São Leopoldo está lançando o primeiro clipe desse novo trabalho. E Warpzone, segunda faixa do álbum, foi a escolhida para ganhar um vídeo. "Com uma temática anos 90 e muito humor, o vídeo conta uma mini-história de amor em um fliperama e foi gravado no Old School House, em Canoas", conta o vocalista e guitarrista Paulinho Tscherniak. Se liga aí: