Publicidade
Botão de Assistente virtual
Multimídia | Vídeos ASSISTA AO VÍDEO

Conheça a história da moradora de Novo Hamburgo que terá casa reconstruída por cooperativa de mulheres

Projeto Divas em Construção reúne 20 mulheres que além das aulas teóricas sobre construção civil, irão colocar a mão na massa e fazer a nova casa da Cândida Cristina da Silva Ramos, de 51 anos, moradora do bairro São José

Por Carla Fogaça
Publicado em: 02.06.2022 às 18:06 Última atualização: 02.06.2022 às 18:27

Uma trajetória que deixa marcas, não só fisicamente, mas na alma. Momentos que não se apagam, nem mesmo das lembranças, dores que, com o tempo, se transformaram em apoio para seguir em frente. Vontade de mudar, coragem, fé e força. É assim que se resume, até o momento, o caminho de vida percorrido por Cândida Cristina da Silva Ramos, 51 anos, mais conhecida como Cris.

Natural de São Jerônimo, veio em 1999 para Novo Hamburgo, decidida em mudar e deixar para trás a maneira de vida que tinha na cidade natal. Ao nascer, Cris foi adotada e aos 18 anos de vida ficou sabendo que não era filha biológica. “Eu fui criada em uma família pobre e infelizmente já perdi eles. Meu pai e minha mãe faleceram de câncer e minha irmã tinha problemas no coração”, explica.

Na busca por aceitação e ter segurança e prazer na vida, Cris entrou para o mundo das drogas. “Eu tinha 12 anos e nisso fiquei por 30 anos, se tornou um vício. E quando entendi que nada daquilo me trazia o que eu buscava eu cheguei em um momento que precisava mudar e com fé pedi a Deus que me ajudasse”, relembra.

Atualmente, Cris comemora duas datas de aniversário, em 3 de dezembro, dia que ela nasceu, e 19 de agosto, dia que, segundo ela, renasceu. “Foi quando deixei as drogas, isso vai fazer 12 anos. E a partir daí tudo mudou, comecei de fato a viver e uso minha experiência para ajudar outras pessoas”, destaca.

Além de vencer o vício, Cris superou um tumor na hipófise e em 2017 outro câncer. “Passei por tantas coisas para chegar até aqui, mas não olho com tristeza para o que aconteceu, sei que tudo foi como era para ser e vejo a mão de Deus em cada coisa. Agora tenho a oportunidade de continuar escrevendo minha história. E mesmo com tudo, posso dizer que sou uma pessoa feliz”, conta Cris.

Conforme Cristina, ter vindo morar em Novo Hamburgo foi de fato uma mudança de vida. Atualmente ela cursa faculdade a distância de Serviço Social e deve se formar em mais três semestres. “Consegui bolsa de 100%, só agora tranquei para focar na construção da casa, que vai começar este mês. Aliás, estou bem empolgada e começando a ficar ansiosa para ver como ela vai ficar”, salienta.

Projeto Divas na Construção

A presidente da Organização não Governamental (ONG) Mulher em Construção, Bia Kern, em parceria com instituições e a Cooperativa Mulher em Construção, criou o projeto Divas na Construção. O projeto capacitará mulheres na construção civil e as aulas serão técnicas e práticas. “A Cândida Cristina fez uma oficina com a gente e fiquei sabendo dos problemas que tinha na casa dela, e então ela foi escolhida para ser a primeira casa construída pelas mulheres”, explica.

Diva em Construção
Diva em Construção Foto: Diego da Rosa/GES

Cerca de 20 mulheres, incluindo a Cris, vão ser orientadas por engenheiros e professores capacitados e em quatro meses a casa estará de ‘cara’ nova. “A residência tem vários problemas, principalmente de cupim e falta de aberturas e circulação de ar. A parte em madeira será tombada e reconstruída em alvenaria. Tudo pelas mulheres”, salienta Bia.

Há quatro anos Cris ganhou uma causa trabalhista e utilizou parte do valor para comprar a casa que foi contemplada pela ação. “Na época eu não entendia muito e quando vi a casa estava com os móveis da antiga dona, quando vi ela vazia me assustei, porque estava detonada. Chorei tanto, mas não tinha como arrumar e nem comprar outra. E agora me emociono de felicidade, porque seria impossível eu conseguir arrumar minha casa sem o projeto”, destaca.

 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.