Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Cachoeirinha EMPRESA TERCEIRIZADA

Após mais um atraso no salário, cozinheiras entram em greve em Cachoeirinha

Poder executivo informou que está agindo judicialmente para realizar o pagamento de forma direta às funcionárias e rescindir o contrato com a empresa

Publicado em: 15.09.2021 às 18:33 Última atualização: 15.09.2021 às 19:56

As funcionárias da empresa Kinte Serviços Terceirizados - Eireli, que trabalham como cozinheiras na rede municipal de Cachoeirinha, comunicaram que a partir desta quarta-feira (15), vão entrar em greve. Elas estão novamente com o salário atrasado, referente ao mês de agosto e que deveria ter sido pago no dia 8 de setembro pela contratante.

Após mais um atraso no salário por parte da empresa terceirizada cozinheiras entraram em greve em Cachoeirinha
Após mais um atraso no salário por parte da empresa terceirizada cozinheiras entraram em greve em Cachoeirinha Foto: Juliano Piasentin / Especial 
De acordo com Suzana Muller, representante das funcionárias, elas só retornam ao trabalho após o salário ser pago. “Viemos hoje e vamos retornar para a frente da Prefeitura amanhã também.” Suzana disse que ela e as colegas se reuniram pela manhã com o prefeito Miki Breier (PSB), que teria se comprometido em resolver o problema.

Diante dos fatos, a Secretaria de Modernização Administrativa e Gestão de Pessoas (SMMAGP), anunciou que foram encaminhadas providências jurídicas à Procuradoria Geral do Município (PGM) na última semana. “Estamos juntando declarações e documentos para justificar o pagamento sem a apresentação de nota fiscal”, disse a secretária Aline Mello.

A secretária confirmou que nem sequer o poder executivo está conseguindo contatos com a empresa e que o pagamento deverá ser feito de forma direta às funcionárias. “Queremos pagar diretamente para as cozinheiras, a empresa sabemos que não vai pagar, eles não nos atendem". Ela ainda reforçou que o objetivo é a rescisão contratual. "Na sexta-feira (17), será finalizado o processo administrativo e decisão se encaminha para a rescisão", concluiu.

Sobre a questão da alimentação dos alunos, o secretário da Educação Cláudio Pinheiro, disse que será realizado o mesmo procedimento da última greve. “A escola que possuir uma cozinheira concursada irá seguir com o almoço no formato tradicional, as demais vão receber lanches, como frutas, sanduíches e sucos.”

Cláudio reforçou a necessidade de resolver o impasse o mais breve possível. “As crianças não ficam desistidas, mas claro que atrapalha, as funcionárias trabalharam e precisam receber seu salário.” Ele concluiu afirmando que o executivo busca a solução para que o pagamento seja realizado até a sexta-feira (17).

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.