Publicidade
Cotidiano | Entretenimento 1991: ANO MARCANTE

Álbuns de rock que fizeram história completam 30 anos

Clássicos como Nevermind, Use Your Illusion, Black Album e Out Of Time têm algo em comum: todos foram lançados em 1991, o ano em que o rock ganhou novo fôlego

Por Marcelo Kenne Vicente
Publicado em: 21.08.2021 às 11:00 Última atualização: 21.08.2021 às 12:40

O ano de 1991 foi um ano especial para o rock, a começar pela capa ícona de Nevermind Foto: Alan Machado/GES
Quem conhece um pouco da história do rock’n’roll sabe que há determinados anos considerados marcantes para o gênero musical, seja pela criação de subgêneros, pelos lançamentos de álbuns icônicos ou pela popularização de movimentos culturais. Podemos falar de 1967, por causa do inovador Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, dos Beatles, e dos primeiros álbuns de artistas relevantes, como Jimi Hendrix, The Doors e Pink Floyd. Ou 1977, quando o punk entrou de vez na cena cultural inglesa com o Sex Pistols. E ainda dá para citar 1985 no Brasil, com a realização da primeira edição do Rock in Rio, impulsionando grandes festivais no País e o avanço comercial do rock oitentista brasileiro.

Neste grupo de datas essenciais está 1991, ano em que o rock ganhou um novo fôlego no mundo inteiro, devido aos lançamentos de vários álbuns do gênero que trouxeram sucessos imediatos, tocados a exaustão nas rádios FM e na MTV e, ao mesmo tempo, se tornaram atemporais. São criações musicais apontadas até hoje como obras-primas do rock e que aparecem por aí em estampas de camisetas.

Exemplos? O premiado Black Album, do Metallica, que foi lançado em agosto de 1991. Ainda neste mês, teve o disco de estreia da banda Pearl Jam, intitulado Ten. Em setembro farão aniversário o álbum duplo Use Your Illusion, do Guns N’ Roses, e o exemplo mais emblemático daquele ano: o Nevermind, do Nirvana. Outros lembrados são o Achtung Baby, do U2, o For Unlawful Carnal Knowledge, do Van Halen, e o Blood Sugar Sex Magik, do Red Hot Chili Peppers (lembra do sucesso Give it Away?), e indo mais para o universo pop, teve o Dangerous, do Michael Jackson. Além desses, no primeiro semestre também foram lançadas obras de sucesso, como é o caso do premiado Out Of Time, da banda R.E.M.

Todas essas referências venceram o tempo e ganharam espaço nas novas gerações, embora seja necessário admitir que o gênero rock não é mais o preferido da juventude. O hamburguense Mateus Tizzoti, de 21 anos, não era nem nascido na época, mas gosta de rock e conhece bem os álbuns lançados em 1991. “Cresci mais apegado ao Use Your Illusion, tive minha fase Guns N’ Roses e ouvia 24 horas por dia. Depois, passei para o Black Album, do Metallica, e o Nevermind e, mais recentemente, fiquei fã de Pearl Jam”, lista Mateus que hoje trabalha com engenharia de suporte. O prazer de ouvir música veio junto à vontade de tocar guitarra. “Depois que ganhei a minha primeira, aprendi a tocar várias composições, como Nothing Else Matters e Don´t Cry.”

Mateus nasceu bem depois de 1991, mas tem os álbuns da época como exemplos de boa música Foto: Arquivo pessoal

Legião, Titãs e Engenheiros também deram as caras

Junto aos sucessos internacionais, as grandes bandas brasileiras dos anos 1980 ainda tinham força no início da nova década. Em 1991, a Legião Urbana lançou o V, um álbum mais intimista, cheio de referências culturais e medievais. Também naquele ano, os Engenheiros do Hawaii vieram com o Várias Variáveis que, além da releitura da música tradicionalista Herdeiro da Pampa Pobre, apresentou algumas outras canções interessantes, como Sampa no Walkman, Muros e Grades e Piano Bar. E ainda teve os Titãs, que lançaram a obra completamente punk Tudo ao Mesmo Tempo Agora, a última do grupo com Arnaldo Antunes como integrante.
São todos exemplos que confirmam 1991 como essencial para o rock. Os que viveram aquele turbilhão sabe bem.

10 álbuns para conhecer ou relembrar

Nevermind tornou Cobain ídolo do rock Foto: Reprodução
Nevermind
É o álbum central do movimento grunge e torna conhecido mundialmente a figura de Kurt Cobain. Com seus hits Smells Like Teen Spirit, Come as You Are e Lithium, é o lançamento mais icônico do empolgante ano de 1991.

No seu auge criativo, o Guns lançou este álbum duplo com 30 composições Foto: Reprodução
Use Your Illusion
Fenômeno na época e com seus shows marcantes no Rock in Rio de 1991, o Guns N’ Roses lançou este álbum duplo que traz os clássicos You Could be Mine, November Rain, Don’t Cry e Civil War.

A voz sem igual de Eddie Vedder ficou conhecida com Ten Foto: Reprodução
Ten
Outra banda que se tornou ícone do rock e do movimento grunge é o Pearl Jam, com seu frontman gente fina Eddie Vedder. Esse foi o primeiro álbum da banda e conta com os sucessos Alive, Black e Jeremy.

O superpremiado álbum do R.E.M. Foto: Reprodução
Out Of Time
O álbum do R.E.M. ganhou três Grammy Awards. Seus singles Losing My Religion e Shiny Happy People eram repetidos diversas vezes ao dia nas rádios FM. O videoclipe de Losing My Religion venceu o MTV Awards.

Metallica colocou o heavy metal entre as mais pedidas Foto: Reprodução
Metallica
Também conhecido como Black Album, foi um marco porque levou o subgênero heavy metal para as rádios comerciais, gerando até reclamações do pessoal mais ligado à banda. Em meio aos hits da época, o Metallica se fazia presente com Enter Sandman, The Unforgiven e Nothing Else Matters.

Este foi um divisor de águas para o U2 Foto: Reprodução
Achtung Baby
É o sétimo álbum de estúdio do U2 e marca a entrada de vez da banda no universo pop, algo que já vinha sendo percebido desde o The Joshua Tree, de 1987. O disco também deu início à visão multimídia do grupo materializada pela turnê Zoo TV. O principal single é o hino de paz One.

Alguns dos sons mágicos da guitarra de Eddie Van Halen estão aqui Foto: Reprodução
For Unlawful Carnal Knowledge
Se bandas mais jovens faziam a diferença naquele ano, o Van Halen - do grande Eddie Van Halen - não ficou atrás com canções que viraram clássicos da banda, como Poundcake (a música da furadeira e da chamada da Fórmula 1) e Right Now. Menos reconhecida, mas excelente, é Runaround.

O Red Hot, como unanimidade, começou neste álbum Foto: Reprodução
Blood Sugar Sex Magik
Embora seja o seu quinto álbum, foi este lançamento que colocou de vez o Red Hot Chili Peppers no circuito comercial. A dançante Give It Away foi um estrondo nas rádios e também nas “festinhas” da época. Outro destaque é Under the Bridge.

Medos e traumas vividos por Renato Russo estão presentes nas letras do V Foto: Reprodução
Legião Urbana V
Considerado um álbum mais maduro, o V reflete muito o momento pelo qual seu líder, Renato Russo, estava passando. Embora mais intimista, teve vários sucessos comerciais, como Teatro dos Vampiros, Vento no Litoral e O Mundo Anda Tão Complicado. 

Álbum menos pop e mais conceitual Foto: Reprodução
Várias Variáveis
Jogos de palavras e muitas referências a filmes, livros e outras músicas (como Sampa do Caetano Veloso) fazem parte deste que, para muitos, é o melhor disco dos Engenheiros do Hawaii. É possível notar ainda algo de Rush em algumas das canções.

 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.