Publicidade
Notícias | Rio Grande do Sul CRIME NO LITORAL

Madrasta de Miguel tem prisão preventiva decretada pela Justiça

Mulher, de 23 anos, estava presa temporariamente na Penitenciária Estadual Feminina de Guaíba

Publicado em: 27.08.2021 às 13:27 Última atualização: 27.08.2021 às 13:34

Após representação da Polícia Civil, com parecer favorável do Ministério Público, a Justiça decretou, nesta quinta-feira (26), a prisão preventiva da madrasta do menino Miguel, Bruna Nathiele Porto da Rosa, de 23 anos. Bruna e a companheira, Yasmin Vaz dos Santos Rodrigues, de 26, viraram rés após serem denunciadas pelos crimes de tortura, homicídio e ocultação de cadáver contra o menino de apenas 7 anos em Imbé.

Miguel dos Santos Rodrigues, de 7 anos, sofria violência em casa Foto: Reprodução

A madrasta estava presa temporariamente desde o dia 1º de agosto pelo prazo legal de 30 dias. A prisão temporária, portanto, só era válida até a próxima segunda-feira (30). Agora, com a preventiva decretada, a mulher permanecerá na Penitenciária Estadual Feminina de Guaíba.

"A gravidade e repercussão dos fatos, bem como o indicativo de sua periculosidade, nesse momento, não permite outro encaminhamento, que não o decreto de prisão preventiva, como mecanismo de garantia da ordem pública", justifica o juiz Gilberto Pinto Fontoura, da 1ª Vara Criminal da Comarca de Tramandaí, em trecho da decisão.

A mãe do menino, companheira de Bruna, também está na cadeia. Presa em flagrante, Yasmin já havia tido a prisão convertida em preventiva pela Justiça. Ela foi presa, dois dias antes de Bruna, no dia 30 de julho, após confessar à Polícia ter jogado o filho no Rio Tramandaí. Até a manhã desta sexta-feira (27), o corpo de Miguel dos Santos Rodrigues ainda não havia sido encontrado.

Buscas completam 30 dias

O Corpo de Bombeiros segue à procura do corpo do menino. Nesta sexta, as buscas completam 30 dias. Equipes já percorreram o rio, a Lagoa do Armazém, a orla do Litoral Norte e fizeram buscas acompanhados de cães farejadores na pousada onde a família vivia e nos arredores. Miguel, porém, segue desaparecido.

"Tempo limpo, sol radiante, praticamente sem vento. Em compensação, a água está um chocolate, o mar subiu bastante na madrugada", afirma o comandante das buscas, tenente Elísio Lucrécio.

Buscas completam 30 dias; nesta sexta, bombeiros percorrem a orla Foto: Divulgação/CBM

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.