Publicidade
Botão de Assistente virtual
Opinião Opinião

Não podemos falar de política

Por Débora de Oliveira
Publicado em: 07.05.2022 às 03:00

Sim, podemos! Sim, devemos! A política é parte do nosso dia a dia em situações que nem imaginamos que é disso que se trata.

Precisamos economizar no super para fechar a conta do mês? Estamos fazendo política de economia. Colaboramos com um papel social que faz a diferença na vida de alguém? Estamos fazendo política.

Nos relacionamos com pessoas no nosso dia a dia que pensam e agem diferente da forma como faríamos e mesmo assim precisamos compreender que elas não são nós?! Isso é política. Refletimos sobre quem nos cerca e no que nossas ações podem prejudicá-los ou beneficia-los igualmente? Estamos nos comportando de forma política. Quando agimos em conjunto com um grupo de pessoas, decidindo a rotina de cada um no contexto coletivo. Política.

Quando reivindicamos um sistema de saúde digno, educação de qualidade, segurança efetiva, saneamento básico… é nesse processo que as políticas públicas entram em jogo, com regras e etapas que têm como prioridade o bem comum. É nessa política que percebemos como os escolhidos estão agindo e que por isso precisamos estar atentos sempre, não só em ano eleitoral.

Infelizmente hoje em dia as pessoas estão evitando tocar nesse assunto para evitar a fadiga. Um tema que já tem dividido famílias, tem afastado amigos, dispersado colegas de trabalho, gerado um destempero desenfreado na Internet. E aí o que se pensa é que seja "melhor a gente não falar sobre esse assunto para não se estressar". E aí nos calamos e seguimos no silêncio que privilegia quem toma conta da nossa vida diariamente com ações e decisões que por vezes banalizam e desmerecem até mesmo o papel que exercem, politicamente falando.

Parece que essa grenalização tem um motivo: que a gente não fale de política. Que a gente não debata e não esclareça nossas dúvidas. Que sigamos alienados e sem compreensão do nosso verdadeiro poder sobre o futuro deles nas urnas e nas atuações. Que sigamos resignados e, depois dos fatos que fogem do nosso alcance, só nos reste a indignação, que não vai servir para nada.

A democracia é uma das nossas maiores conquistas. Nos faz soberanos do poder e nos permite confiar essa parte do poder para que os escolhidos organizem a sociedade. Mas que liberdade de escolha é essa que nos cerceia diariamente em nome da paz que já não temos? O diálogo é nossa maior arma contra a ignorância e o pensar diferente do outro é tão direito dele quanto meu de não seguir a mesma linha.

Seria tão menos cansativo conversar e um entender o lado do outro, quem sabe mudar de opinião ou até mesmo abrir os horizontes da pessoa que tiver o interesse numa troca construtiva de parte a parte. Por que, então, precisamos nos ofender e aceitar esse digladiar de ofensas que só nos aprisionam em um mundo que favorece quem nos usa como escada rumo aos próprios interesses? É preciso fortalecer laços e não distanciar.

Podemos falar de política, e também precisamos saber ouvir.


O artigo publicado neste espaço é opinião pessoal e de inteira responsabilidade de seu autor. Por razões de clareza ou espaço poderão ser publicados resumidamente. Artigos podem ser enviados para opiniao@gruposinos.com.br
Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.